Quinta, 28 de Outubro de 2021
71 99208-9314
Política Eleições 2022

‘Bolsonaro não quer deixar o poder, mas o povo vai decidir o contrário’, afirma Lula

Petista analisou a rivalidade com o presidente em entrevista ao jornal francês Liberátion

07/10/2021 08h56
Por: Redação
Fotos: Marcelo Camargo e Valter Campanato/Agência Brasil
Fotos: Marcelo Camargo e Valter Campanato/Agência Brasil

Em entrevista ao jornal francês Libération, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comentou sobre a rivalidade com Jair Bolsonaro (sem partido). O rosto do petista aparece estampado na capa da edição do jornal desta quinta-feira (7), afirmando que o conservador “vai perder”.

Em um trecho da entrevista, publicado pelo ‘Poder 360’, Lula comenta sobre a disputa das eleições presidenciais de 2022 e afirma que “Bolsonaro não quer deixar o poder, mas o povo vai decidir o contrário”.

“Ele [Bolsonaro] desperdiçou suas chances de construir credibilidade junto aos brasileiros, por meio da incapacidade política e psicológica. Bolsonaro não é uma pessoa civilizada. Ele não gosta de pobres, nativos americanos, negros, mulheres, pessoas LGBT, sindicatos ou democracia. Tenho certeza de que o povo brasileiro se encarregará de encerrar esta era de incertezas para restaurar nossa plenitude democrática”, concluiu o petista.

Lula ainda afirmou que o atual presidente “desrespeitou todas as regras civilizadas que nossa democracia estabeleceu”, além de “jogar no lixo” a diplomacia brasileira que, segundo ele, “sempre foi muito respeitada”.

“Falou mal da China, Rússia, Argentina, Bolívia, CHile. Ele até ofendeu pessoalmente Brigitte Macron”, acrescentou o ex-presidente.

Em outro trecho da entrevista, Lula conta que o seu plano de mandato, se for eleito em 2022, será baseado em sua “sensibilidade social”.

“Os pobres não são o problema, mas sim a solução. Assim que eles começam a ter um pouco de dinheiro, eles consomem e isso movimenta a economia” e resume: “na verdade, minha fórmula é bastante simples: coloque os pobres no orçamento e os ricos no imposto de renda”.