E-mail

redacao@baianonews.com.br

WhatsApp

71 99208-9314

gov 06.04 a 05.04
Covid-19

Crise da segunda dose é causada por orientação incorreta de Pazuello, indica Queiroga

Salvador e outras oito capitais sofrem com escassez da CoronaVac, após não reservarem segunda dose, conforme recomendação do até então ministro da Saúde

02/05/2021 14h28
Por: Redação
Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini
Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini

Uma orientação do antigo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, causou a crise da segunda dose em Salvador e outras oito capitais brasileiras. É o que indicou o atual comandante da pasta, Marcelo Queiroga. 

Não há doses suficientes da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, para concluir a imunização das pessoas que tomaram a primeira dose da mesma. Isso acontece porque, em fevereiro deste ano, e, novamente em março, depois de ter voltado atrás na recomendação, Pazuello orientou aos municípios que utilizassem todo o estoque como primeira dose. 

Devido a um problema de produção da vacina pelo Instituto Butantan, mais doses não puderam ser entregues para substituir as que foram utilizadas como primeira dose, e por isso, pelo menos oito capitais tiveram que suspender o reforço com o imunizante. “Isso decorre da aplicação da segunda dose como primeira dose", afirmou Queiroga. "Logo que houver entrega da CoronaVac, [o problema] será solucionado”, concluiu.