Terça, 18 de Janeiro de 2022
71 99208-9314
Dólar comercial R$ 5,51 -0.255%
Euro R$ 6,27 -0.518%
Peso Argentino R$ 0,05 -0.359%
Bitcoin R$ 242.381,98 -0.957%
Bovespa 106.228,93 pontos -0.14%
Economia Brasil

Circulação de dinheiro em espécie diminui em R$ 40 bilhões após 1 ano de Pix

Sistema de pagamento instantâneo movimenta mais de R$ 550 bilhões por mês em cerca de 1 bilhão de transações

14/11/2021 09h42
Por: Redação
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Quarenta bilhões de reais em espécie deixaram de circular no País de janeiro a outubro deste ano, uma queda de 10,5% em relação ao fim do ano passado, após um ano de Pix, o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central que caiu no gosto do brasileiro. A informação é do jornal o Estado de S. Paulo.

Com adesão em massa de famílias e de empresas, o Pix – que completa um ano na próxima terça-feira – já tem quase 350 milhões de chaves individuais cadastradas e movimenta mais de R$ 550 bilhões por mês, em cerca de 1 bilhão de transações.

Destas, o diretor de Inovação, Produtos e Serviços da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Leandro Vilain, acredita que entre 80% e 90% substituíram as operações antes feitas em espécie.

Isso porque a queda absoluta de transações via TED entre novembro de 2020 e setembro de 2021 (192 milhões para 94 milhões) e DOC ou cheque (45 milhões para 25 milhões) é pequena se comparada ao crescimento espetacular da quantidade de operações com Pix, de 34 milhões para 1 bilhão. A taxa de expansão é de 2.959%.