E-mail

redacao@baianonews.com.br

WhatsApp

71 99208-9314

SECOM - ESTADO SOLIDARIO
gov 06.04 a 05.04
2º lugar no Brasil

Subsecretária de saúde afirma que democracia entre governos tem garantido boa colocação da Bahia no ranking de vacinação 

O estado saltou para a segunda colocação no ranking do Brasil, no número de vacinados em primeira dose

31/03/2021 18h50
Por: Sérgio Di Salles

Em entrevista ao Programa Altos Papos, da Princesa FM, a Dra. Tereza Paim, subsecretária de Saúde da Bahia, falou sobre a colocação do estado no ranking de vacinação a nível de Brasil,  que agora ocupa o segundo lugar. Ela afirmou que o bom desempenho se deve a todo o processo que foi estabelecido, partindo do governador em ação conjunta com todos os prefeitos e secretários municipais.

“É um trabalho que já sabíamos que daria certo, pois na Bahia todo o processo foi bem estabelecido, número de postos, trabalhadores, além do trabalho que o governador vem fazendo com os municípios, ao longo deste mês inteiro foram muitas reuniões diárias, sempre estimulando prefeitos e secretários a aplicarem de domingo a domingo, então, é mérito dos municípios”, disse.

Segundo a Dra., a Bahia deverá receber novas doses nos próximos dias. “Estamos aguardando que o Ministério da Saúde libere até sexta uma nova remessa, e muitos municípios já passaram dos 100% da vacinação, e estão aguardando ansiosos por mais imunizantes”, afirmou.

Ainda falando sobre os números de aplicação na Bahia, a Dra. Tereza Paim disse que a região Oeste vem se destacando. “Salvador tem batido recorde, mas Vitória da Conquista também está com um alcance grande. O que importa é que todos continuem vacinando e eles precisam passar dos 85% para receber novas doses, e isso estimulou também a população, que entendeu e tem procurado a vacinação”, contou.

Em relação ao estabelecimento da meta de 85% para a vacinação nos municípios, ela disse que foi uma decisão tomada em conjunto com gestores de todas as cidades. “O governo federal faz a compra e distribuição, o estado só recebe e redistribui, essa é a função do estado, com o quantitativo populacional também definido pelo Ministério da Saúde, então os secretários municipais se reúnem e pactuam tudo, como agora, por exemplo, que fechamos a vacinação para os policiais militares. É uma democracia entre todos, e assim ficou sobre o alcance de 85% para o município receber novas remessas, não é uma decisão bilateral, é uma democracia do SUS”, disse.

A subsecretária ainda alertou a população que já recebeu a primeira dose, para que fique atenta e não perca a aplicação da segunda.  “A segunda dose fica sob a guarda do estado para a garantia de que a pessoa vai receber, ela vem carimbada como segunda dose, para que não usem como primeira. As pessoas devem olhar a data marcada para a segunda dose nos seus cartões, é muito importante, pois a primeira só  faz efeito após 15 dias, só então começa a imunização e a diminuição dos riscos, como contaminação e a morte”, finalizou.