Terça, 21 de Maio de 2024
Política Política

“Sob estranheza , pesquisa Séculus revela nomes desconhecidos do eleitorado de Feira”, analisa deputado Robinson Almeida

Robinson Almeida também aproveitou para questionar a credibilidade do instituto.

30/04/2024 15h42
Por: Redação
“Sob estranheza , pesquisa Séculus revela nomes desconhecidos do eleitorado de Feira”, analisa deputado Robinson Almeida

O deputado estadual Robinson Almeida (PT) está questionando a citação de nomes até então desconhecidos no cenário político de Feira de Santana, em pesquisa divulgada pela empresa Séculus Análise e Pesquisa. Entre as figuras mencionadas na sondagem, destacam-se Karol Venas e Samaritano, ambos com 0,13% de intenções de voto.

A pesquisa divulgada pela Séculus Análise e Pesquisa aponta uma suposta vantagem do ex-prefeito José Ronaldo sobre Zé Neto (PT) e Pablo Roberto (PSDB) nos cenários tanto espontâneo quanto estimulado. No entanto, Robinson Almeida contesta veementemente tais resultados, afirmando que não refletem o sentimento real das ruas.

“De fato são nomes que o eleitorado de Feira de Santana não conhece. Não estou desmerecendo o potencial de ninguém, mas acho estranho esses nomes aparecerem em uma pesquisa a pouco mais de cinco meses para a eleição”, disse Robinson Almeida.

NÃO TRADUZ A REALIDADE

Conforme o deputado estadual, o resultado da pesquisa feita pela Séculus não representa o sentimento das ruas. “No dia a dia e nas interações com a comunidade, é observada uma eleição polarizada sem vantagem tão significativa do ex-prefeito sobre seus concorrentes. Esses números não traduzem a realidade em Feira de Santana”, comentou.

Robinson Almeida também aproveitou para questionar a credibilidade do instituto. “Há muito tempo essa empresa tem tido sua credibilidade questionada, especialmente devido a resultados controversos em diversas eleições passadas.

O deputado estadual fez questão de ressaltar ainda o partido União Brasil tem em seu histórico a manipulação de resultados de pesquisas, com o apoio de institutos cuja imparcialidade é questionada na Bahia.

“Essa prática mina a confiança no processo democrático e compromete a lisura das eleições. Esse tipo de manipulação de resultado precisa ser combatido por todos nós, especialmente, pelos eleitores”, disse.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.