Quarta, 17 de Agosto de 2022
71 99208-9314
Bahia Confira!

Salvador confirma novo caso de varíola dos macacos e total sobe para 13 na Bahia

Apenas na capital 10 casos já foram confirmados

05/08/2022 06h38
Por: Sérgio Di Salles
Reprodução
Reprodução

Um novo caso de varíola dos macacos foi confirmado pela prefeitura de nesta quinta-feira (4). Com isso, sobe para dez o número de casos da doença na capital baiana.

De acordo com os dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), mais 69 casos suspeitos estão em investigação na Bahia. Em todo o estado foram registrados 13 casos, sendo dez em Salvador, dois em Santo Antônio de Jesus e um em Ilhéus.

Os casos suspeitos estão no municípios de  Amargosa (01), Aratuípe (01), Barra (01), Caetité (1), Cairu (01), Camaçari (01), Camamu (01), Conceição do Coité (01), Conceição do Jacuípe (01), Cruz das Almas (01), Dias d’Ávila (01), Ibicaraí (03), Ilhéus (01), Itaberaba (03), Itapebi (01), Itiruçu (01), Jaguaripe (01), Jeremoabo (01), Juazeiro (01), Lauro de Freitas (02), Nazaré (01), Salvador (35), Santa Cruz Cabrália (01), Santa Cruz da Vitória (01), Santo Antônio de Jesus (01), São Sebastião o Passé (01), Serra do Ramalho (01), Ubaitaba (01), Vitoria da Conquista (01) e Xique-Xique (01).

O aumento no número de casos de monkeypox (varíola dos macacos) levou a Prefeitura de Salvador a criar um protocolo específico para lidar com a doença. A capital tem dez casos confirmados e 35 pacientes com suspeita de infecção. Os detalhes foram apresentados pelo secretário municipal de Saúde, Décio Martins, nesta quarta-feira (3).

O gestor explicou que o Município vai disponibilizar 28 unidades básicas de referência para atendimento e coleta laboratorial e 16 unidades de urgência e emergência para receber os pacientes com suspeita da doença. Décio frisou que o protocolo não deve causar pânico, o objetivo é servir como ferramenta de informação para a população.

“Os protocolos servem para orientar a população sobre quando procurar nossas unidades e quais cuidados adotar para evitar a disseminação da doença e para se proteger. O objetivo é informar as pessoas sobre quando procurar as unidades de saúde. Por enquanto, os casos têm sido leves e, dos nove, quatro já estão curados”, afirmou.

A infecção pelo vírus monkeypox causa sintomas como febre, dor de cabeça, dores musculares, linfonodos (nódulos no pescoço, axila e virilha), calafrios e exaustão, mas o principal indicativo é o aparecimento de erupções (bolhas) na pele, principalmente na boca e na genitália.

Quem apresentar os sintomas deve procurar uma das unidades de saúde. Nos casos suspeitos, o paciente deve ser isolado, inclusive do contato com a família, até que o resultado do exame fique pronto. A recomendação é procurar ajuda médica assim que notar o aparecimento das bolhas. Elas não devem ser estouradas e precisam ser higienizadas com água e sabão 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.